terça-feira, julho 19, 2016

Pancada

Cada vez que o meu coração bate, é alguma coisa que está batendo pra sair. Às vezes amigavelmente, às vezes esmurrando. A batida na porta, toc toc nas costelas, aquilo que eu incansavelmente preciso externar.
A visita que quer ir para fora do meu peito, incomodada e envergonhada, vai se voltar para dentro e quebrar tudo se não for aberta a porta. Uma mísera fresta na janela não serve.
Tem algo ali sim, não é apenas um processo fisiológico. É a emoção que me domina e que eu quero gritar. Se ela não sair, eu morro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Espaço abaixo: Pra quem leu o post e tem qualquer coisa a dizer. Deixe também o email ou site.