sábado, abril 02, 2016

Só de passagem

-Está livre?
-Sim.
-Ufa. Andei muito para conseguir um táxi. Estão todos cheios! Vamos embora que ainda temos que atravessar toda essa muvuca de volta!
Pós show de rock no Anhembi, em São Paulo. Ela estava toda maquiada, parecia um fantasma de rosto branco e olhos fundos. Abriu a porta, acomodou-se atrás do motorista e afivelou o cinto. A dez quilômetros para hora, seguindo da praça Campo de Bagatelle até a Marginal Tietê, começaram uma conversa despretensiosa, interrompida por várias pessoas a pé perguntando ao motorista:
-Tá com passageiro?
-To. Tá ocupado.
Ele se voltava ao banco de trás:
-Ninguém tá vendo você.
-Pois é.
Realmente várias pessoas perguntaram a mesma coisa, sem nem se dar o trabalho de olhar se já havia alguém ocupando o táxi. Depois da negativa, encaravam o vidro de trás, que nem insulfilm tinha, e seguiam procurando outro motorista. Às vezes se espantavam com o rosto branco encarando friamente de volta.
-Aqui na marginal você vai ter que me explicar porque não sei exatamente qual é a saída que você deseja pegar, ok?
Silêncio. Tinha dormido?
-Ok moça?
Não havia ninguém no banco de trás.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Espaço abaixo: Pra quem leu o post e tem qualquer coisa a dizer. Deixe também o email ou site.